10, 9, 8… João Cabral de Melo Neto!


joaocabralO novo “radiografado” pelo Livro Leve Solto no quadro 10, 9, 8… é o poeta recifense João Cabral de Melo Neto. Se não tivesse morrido, em 1999, estaria completando, neste 9 de janeiro, seus 94 anos. A seguir, você fica por dentro de dez fatos e curiosidades sobre a vida do autor de clássicos regionais e nacionais, como Morte e vida severina e O cão sem plumas.

10. João Cabral de Melo Neto tinha a literatura no sangue. Era primo de Manuel Bandeira pelo lado paterno e de Gilberto Freyre, pelo materno.

9. Viveu a infância em engenhos de açúcar de São Lourenço da Mata e Moreno, municípios da Zona da Mata pernambucana. Aos 10 anos, mudou-se para o Recife com a família.

8. Publicou seu primeiro livro, Pedra do sono, em 1942. No mesmo ano, foi convocado para servir à Força Expedicionária Brasileira (FEB), na Segunda Guerra Mundial, mas acabou dispensado por razões de saúde.

7. Em 1945, mesmo ano em que publicou O engenheiro (livro em que valoriza a construção geométrica dos poemas, o que marcaria sua carreira literária), fez concurso para diplomata e é aprovado. Em 1946, ingressou no Itamaraty.

6. O cargo de diplomata fez com que João Cabral morasse primeiramente em Barcelona, onde conviveu com o pintor Joan Miró, sobre o qual escreveu um ensaio. Mais tarde, mudou-se para Londres, onde, em 1950, publicou O cão sem plumas, livro que se refere ao Rio Capibaribe, que corta todo o Recife. Depois, viveu ainda em Marselha, Madri, Sevilha, Genebra, Berna, Assunção, Dacar, entre outras cidades.

5. Em um só ano, 1956, João Cabral teve quatro livros publicados pela Editora José Olympio. Entre os três inéditos, estava Morte e vida severina, em que relata, em versos, a trajetória de um sertanejo que cruza o estado de Pernambuco em busca de uma vida melhor no Recife.

4. Foi eleito, em 1968, como imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL), na cadeira 6, substituindo Assis Chateaubriand. Apenas na década de 1990, conquistou uma vaga também na Academia Pernambucana de Letras.

3. Além de inúmeros prêmios como escritor e autor de peças teatrais (com a encenação de Morte e vida severina), incluindo o Jabuti e o Luís de Camões, João Cabral foi agraciado com o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e pela Universidade Federal de Pernambuco.

2. Parou de escrever no início da década de 1990, ao descobrir que sua dor de cabeça recorrente era sintoma de uma doença degenerativa incurável, que o deixaria cego. Por isso, também passou a apresentar um quadro depressivo.

1. Apaixonado por futebol, chegou a ser campeão juvenil pelo Santa Cruz, aos 15 anos. Mas seu clube de coração, na verdade, era o América do Recife, que conquistou o último dos seus seis títulos pernambucanos em 1944, quando João Cabral tinha apenas 24 anos.

+ Conteúdo

Ao longo do dia, publicamos dois vídeos sobre a principal obra de João Cabral de Melo Neto na página do blog no Facebook. Agora, os dois vão ao ar aqui também.

O primeiro é a animação em preto e branco e 3D de todo o poema Morte e vida severina, com ilustrações de Carlos Miguel.

O segundo é um clipe da música Funeral de um lavrador, feita por Chico Buarque em cima de alguns versos da obra. O trecho selecionado é do teleteatro exibido pela Rede Globo em 1981, no qual a canção é interpretada por Tânia Alves.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s