Fernanda Torres é um homem


DSC_0943

Pois é, Fernanda Torres é um homem.

[Pausa para digerir a informação]

Pronto, passou, passou… Foi só uma brincadeira. Fernanda Torres não é homem. A atriz global, filha de Fernando Torres e Fernanda Montenegro, fez recentemente seu début literário, com um livro de estreia ironicamente intitulado Fim, e surpreendeu muitos críticos e leitores do país. Eu, inclusive.

Em pouco mais de 200 páginas, o livro conta a história de cinco amigos e das mulheres que passaram por suas vidas. Tudo se passa no Rio de Janeiro e, considerando a propriedade de Fernanda na descrição de peculiaridades da cidade e seus bairros, imagino que os leitores cariocas tenham ficado ainda mais satisfeitos com a obra do que eu. Há muitas referências que, certamente, para um bom conhecedor, ajudam a contextualizar o romance.

Fim está dividido em seis partes. Uma delas é dedicada a um personagem secundário. As outras, aos cinco amigos. Em cada uma delas, Fernanda reveste-se do personagem, numa bela narrativa em primeira pessoa, que inclui sensações, pensamentos e atos sobre os mais diversos campos da vida (e da morte), desde o sexo – assunto recorrentíssimo na obra – até a relação com os filhos, desde a velhice até o consumo de entorpecentes, desde o ciúme até a indiferença.

Nessa fragmentação do livro, a atriz acerta em cheio ao mostrar o ponto de vista de cada amigo sobre episódios em que todos (ou parte deles) estiveram envolvidos. Exemplo: enquanto X acusa Y de ter cometido uma canalhice, Y explica, sob outra ótica, os motivos que o levaram a sair da linha. Ao leitor, cabe (ou não) decidir de qual lado ficará, a partir dos seus próprios preconceitos e visões de mundo. Coisas que, aliás, podem ser relativizadas ou transformadas ao longo da leitura de Fim.

Dentro dos capítulos, também há textos com os pontos de vista de outros personagens, principalmente de mulheres que passaram pelas vidas dos cinco amigos. Curiosamente, Fernanda não brilha tanto ao se colocar nos papéis femininos. A narração é mais contida e até perde um pouco do humor inteligente e sarcástico, marca forte do romance. A autora, enfim, parece se sentir mais à vontade com a voz masculina.

É por isso, querido(a) leitor(a), que Fernanda Torres é um homem. Quer dizer… Não é, mas bem que poderia ser.

Ficha técnica

Título: Fim

Autor: Fernanda Torres

Editora: Companhia das Letras

Páginas: 208

Anúncios

Um comentário sobre “Fernanda Torres é um homem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s