10, 9, 8… Julio Cortázar!


julio-cortazar-9

Não é todo dia que temos um centenário a comemorar. Mas, hoje, sim. O primeiro 10, 9, 8… da nova fase do Livro Leve Solto traz dez fatos e curiosidades sobre a vida do escritor argentino Julio Cortázar, que completaria 100 anos neste 26 de agosto de 2014. Aliás, o próprio nascimento dele já merece um lugar na lista…

10. Julio Cortázar nasceu, ao mesmo tempo, na Argentina e na Bélgica. É que sua mãe deu à luz no local de trabalho do pai: a embaixada hermana em Ixelles, um distrito da capital belga, Bruxelas. Depois, mudou-se para Banfield, na Argentina, onde passou a infância e a juventude. Aos 37 anos, voltou a morar na Europa (agora, em Paris), onde ficou até sua morte, em 1984.

9. Fã de jazz, o escritor costumava falar do seu processo de produção literário buscando inspiração na música. Dizia, por exemplo, que a sua maior preocupação na hora de escrever era o ritmo.

8. Outra paixão de Cortázar, o boxe também ganhou espaço entre suas metáforas. Segundo ele, no romance, o leitor é vencido por pontos, enquanto o conto vence por nocaute.

7. Embora escrevesse desde os 9 anos de idade, apenas aos 37, Cortázar assinou o seu primeiro livro, a coletânea de contos Bestiário. Antes, com o pseudônimo Julio Denis, teria lançado outros dois. Doze anos depois, em 1963, veio ao mundo a sua obra mais conhecida, O Jogo da Amarelinha (Rayuela, em espanhol).

6. À parte as características fantásticas de sua produção literária, Julio Cortázar conquistou fama também por seu engajamento político. Depois de deixar a Argentina por discordar da ditadura de Perón, o escritor encantou-se pelo regime cubano implementado por Fidel Castro, tornando-se um dos seus defensores. Valorizava, também, o governo revolucionário da Nicarágua.

5. Além de escrever em diversos estilos e formatos, desde peças teatrais até contos e poemas, Cortázar notabilizou-se como tradutor, trabalhando inclusive para a Unesco. Ele passou para o espanhol, por exemplo, a obra completa de Edgar Allan Poe e o livro Robinson Crusoe (de Daniel Defoe).

4. O filme Blow Up, de Michelangelo Antonioni, foi inspirado no conto As babas do Diabo, incluído por Cortázar no livro As Armas Secretas, de 1959.

3. Julio Cortázar casou-se duas vezes. O relacionamento mais célebre, embora curto, foi com a fotógrafa, ativista e escritora norte-americana Carol Dunlop. A viagem dos dois em uma Kombi, pela autoestrada Paris-Marselha, está representada no livro Os astronautas da Cosmopista, de 1982. A história do casal também deve virar filme, como parte da comemoração ao centenário do autor.

2. Também em 1982, em novembro, Carol Dunlop faleceu. A morte da companheira deixou Cortázar em uma profunda depressão por pouco mais de um ano, até o fim da própria vida.

1. As duas mortes, até hoje, não foram totalmente esclarecidas. Embora, oficialmente, o escritor tenha padecido de leucemia, há uma suspeita de que ele teria sido acidentalmente infectado com o vírus HIV, durante uma transfusão de sangue, e acabado por contagiar a mulher. A versão é baseada em relato da escritora uruguaia Cristina Peri Rossi, amiga do casal.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s