Quantos autores de língua portuguesa já ganharam o Nobel?


José Saramago 2

Nascido em 1922 e morto em 2010, Saramago tornou-se o maior expoente da literatura portuguesa desde Camões

Há exatos 16 anos, em 8 de outubro de 1998, José Saramago recebia o Nobel de Literatura. Mas você tem ideia de quantos outros autores de língua portuguesa já foram contemplados com esse prêmio tão importante?

Não precisa pesquisar. A resposta é fácil: nenhum. Apenas o português, autor de Ensaio sobre a cegueira O Evangelho segundo Jesus Cristo, levou o nosso idioma a esse patamar. E olhe que não faltaram oportunidades! Afinal, o Nobel de Literatura é concedido desde 1901. De lá para cá, só não houve a entrega do prêmio em sete anos – na maioria deles, devido a conflitos bélicos.

Mas o que faltou para que mais portugueses, brasileiros, angolanos, moçambicanos e outros falantes (e escritores) da nossa língua chegassem lá? Encontrar uma resposta é difícil, mas acho que podemos dizer que “falta de talento” não está entre as opções. É só lembrar nomes como Fernando Pessoa, Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, Jorge Amado…

O meu palpite é a pouca representatividade que, historicamente, afeta os falantes da língua portuguesa. Embora formemos uma população de 250 a 300 milhões de pessoas, ainda estamos longe de ter nosso idioma valorizado mundo afora, até por não sermos tão fortes em termos políticos e econômicos. Há até quem pense que o brasileiro fala italiano ou espanhol

Nesse sentido, vale apresentar alguns números. Enquanto apenas Saramago nos representou no Nobel, 13 autores da língua francesa e cerca de dez da alemã já receberam o prêmio. Dos que escreviam em inglês, foram, pelo menos, 25.

T.S. Eliot (foto), William Faulkner e Bertrand Russell emplacaram sequência de três prêmios para a língua inglesa, entre 1947 e 1949

T.S. Eliot (foto), William Faulkner e Bertrand Russell deram sequência de três prêmios para a língua inglesa, de 1947 a 1949

Coincidentemente ou não, os destinos do Nobel guardam relação com a situação político-econômica mundial – ou, para ser mais específico, com os países em destaque na conjuntura internacional. Por exemplo: dos 25 prêmios a autores de língua inglesa, 19 vieram após a Segunda Guerra Mundial, da qual britânicos e (sobretudo) norte-americanos saíram vitoriosos e fortalecidos. Esse número representa 26,38% do total de vencedores entre 1944 e 2013.

Antes de a concessão do prêmio ser interrompida, de 1940 a 1943, por sua vez, 38 autores foram contemplados. Destes, sete escreviam na língua francesa e cinco na alemã (quatro deles, antes da Primeira Guerra Mundial). Dos Estados Unidos, país ainda sem grande poderio no âmbito mundial, apenas três – e todos eles, na década de 1930.

Desconfio, portanto, que, no que se refere a Nobel, o português vai demorar a brilhar novamente. Quem dera o prêmio já fosse concedido na época das Grandes Navegações… Não é mesmo, Camões?!

"Tá fácil pra ninguém" (CAMÕES, Luís de)

“Tá fácil pra ninguém” (CAMÕES, Luís de)

O nome do vencedor ou vencedora do Nobel de Literatura de 2014 será divulgado nesta quinta-feira (09). A entrega do prêmio, que consiste em 8 milhões de coroas suecas (pouco mais de 1 milhão de dólares), acontecerá na sexta (10), aniversário de morte de Alfred Nobel. Fique ligado no Livro Leve Solto para saber mais sobre o(a) contemplado (a).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s