Sessão de domingo: O grande mentecapto


Diogo Vilela interpreta o protagonista da história, Geraldo Viramundo

Diogo Vilela interpreta o protagonista da história, Geraldo Viramundo

Neste 12 de outubro, o escritor mineiro Fernando Sabino estaria completando 91 anos. Morto na véspera do seu 81º aniversário, ele conquistou reconhecimento com obras como O encontro marcado, O homem nu e O grande mentecapto. Este último, um romance iniciado na década de 1940 e publicado em 1979, rendeu-lhe o Prêmio Jabuti, um dos mais importantes da literatura nacional.

A obra, que conta histórias pitorescas envolvendo o protagonista Geraldo Viramundo, também ganhou adaptações para o teatro e o cinema. A versão para a telona, dirigida por Oswaldo Caldeira, foi lançada em 1989, dez anos antes de Sabino receber o Prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras, pelo conjunto de sua obra.

O filme, que participou de festivais internacionais e arrematou prêmios relevantes, como o do júri popular do Festival de Gramado de 1989, tem grandes nomes da dramaturgia no elenco. Entre eles, estão Diogo Vilela (que interpreta Geraldo Viramundo), Luiz Fernando Guimarães, Osmar Prado, Débora Bloch e Regina Casé.

Antes de assistir ao filme, uma curiosidade: nascido no Dia das Crianças, Fernando Sabino teve um pedido atendido após a morte. Na sua lápide, no Rio de Janeiro, lê-se o seguinte epitáfio: “Aqui jaz Fernando Sabino, que nasceu homem e morreu menino!”

Boa sessão!

Anúncios

Um comentário sobre “Sessão de domingo: O grande mentecapto

  1. Em “O Grande Mentecapto”, Fernando Sabino narra um encontro imaginário entre Geraldo Viramundo e o escritor francês Georges Bernanos. O autor que tanto interessou Sabino foi um dos maiores romancistas em língua francesa do século XX e morou no Brasil entre 1938 e 1945. Sua obra tem sido publicada no Brasil pela É Realizações Editora, e agora sua passagem pelo país é narrada ao público local. O estudo de Sébastien Lapaque “Sob o Sol do Exílio: Georges Bernanos no Brasil (1938-1945)” acaba de ser publicado, trazendo à luz a visita de Bernanos a várias cidade do Rio de Janeiro e Minas Gerais, sua estadia no sítio Cruz das Almas, sua revolta contra a mediocridade dos intelectuais e a ascensão do totalitarismo, sua amizade com pensadores brasileiros e a visita que Stefan Zweig lhe fez à véspera de se suicidar.

    Matérias na Folha de S. Paulo a propósito do lançamento do livro: http://goo.gl/O8iFve e http://goo.gl/ymS4lL
    Para ler algumas páginas de “Sob o Sol do Exílio”: http://goo.gl/6hAEOM

    Confira também:
    Diálogos das Carmelitas: http://goo.gl/Yy3ir3
    Joana, Relapsa e Santa: http://goo.gl/CAzTTk
    Um Sonho Ruim: http://goo.gl/Kd091z
    Diário de um Pároco de Aldeia: http://goo.gl/ISErLc
    Sob o Sol de Satã: http://goo.gl/qo18Uu
    Nova História de Mouchette: http://goo.gl/BjXsgm

    ANDRÉ GOMES QUIRINO
    mkt1@erealizacoes.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s