10, 9, 8… Rachel de Queiroz!


Primeira mulher a tornar-se imortal da ABL, Rachel de Queiroz não gostava de escrever

Primeira mulher a tornar-se imortal da ABL, Rachel de Queiroz não gostava de escrever

Hoje, 17 de novembro, a escritora cearense Rachel de Queiroz estaria completando 104 anos. E, como é de praxe, o Livro Leve Solto aproveita a data para homenageá-la, resgatando dez fatos e curiosidades sobre a sua vida e obra. Confira a seguir:

10. Rachel de Queiroz nasceu em Fortaleza, em 1910, já com sangue literário correndo em suas veias. É que o também cearense José de Alencar, autor de O Guarani, Iracema e Lucíola, entre outros clássicos, fazia parte da sua família materna.

9. Em 1925, a vida intelectual e profissional de Rachel deu uma guinada importante. Além de ter concluído o curso normal, ela lançou o seu primeiro romance, História de um nome, em formato de folhetim, e começou a publicar crônicas e poemas modernistas na imprensa cearense, sob o pseudônimo Rita de Queluz.

8. O reconhecimento nacional veio em 1930, quando Rachel de Queiroz lançou o romance O Quinze. A obra tem ligação direta com a seca que afetara o Nordeste cerca de uma década atrás. Por causa do problema, aliás, a própria escritora se mudara com a família para o Rio de Janeiro e o Pará, só retornando dois anos mais tarde.

7. Outros livros marcantes na carreira literária da autora foram As três Marias, João Miguel, Caminhos de Pedras, O Galo de Ouro, Dôra, Doralina e Memorial de Maria Moura. Este último, lançado em 1992, voltava às temáticas do Sertão e foi adaptado como minissérie televisiva da Rede Globo, sendo transmitida em 1994 no país e, posteriormente, no exterior.

6. Além desses romances, Rachel publicou uma série de coletâneas de crônicas, livros infantis e peças teatrais. Trabalhou ativamente, ainda, como tradutora de obras como Os irmãos Karamazov, de Doistoiévski, e O morro dos ventos uivantes, de Emily Brontë. Por fim, escreveu as biografias de Charles Chaplin, Leon Tolstói, Alexandre Dumas, entre outros.

5. A preocupação social e política retratada nos livros levou Rachel ao envolvimento com o Partido Comunista Brasileiro. Em 1929, ela passou a fazer parte do Bloco Operário Camponês em Fortaleza. Em meados da década de 1930, também foi atuante em São Paulo, onde fora morar.

4. Em 1937, época do Estado Novo de Getúlio Vargas, Rachel de Queiroz foi presa, sob a acusação de ser comunista. Em 1964, ela, aparentemente, mudou de lado, já que apoiou a instauração do regime militar, tendo até mesmo integrado o diretório nacional da Arena, partido governista de então, e representado o país na Organização das Nações Unidas (ONU).

3. Em 1977, Rachel tornou-se a primeira mulher imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL). Após vencer a disputa com o jurista Pontes de Miranda, ela assumiu a cadeira 5 da instituição. Outras conquistas na sua carreira foram o Prêmio Machado de Assis (1957), o Prêmio Jabuti de Literatura Infantil (1970) e de Romance (1993), o Prêmio Camões (1993) e os títulos de Doutora Honoris Causa da Universidade Federal do Ceará (1981) e da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (2000).

2. Apesar de todo o reconhecimento e da profícua carreira como autora, Rachel de Queiroz revelou, aos 90 anos, que não gostava de escrever. Ela contou que a maioria dos seus livros era apenas uma compilação de crônicas feitas para a imprensa (ela colaborou por mais de 30 anos com O Cruzeiro, por exemplo) e que os lançava para manter-se financeiramente.

1. A autora morreu vítima de infarto, em 04 de novembro de 2003, no Rio de Janeiro, enquanto dormia. No mesmo ano, duas biografias dela foram lançadas: em julho, José Luís Lira publicou No alpendre com Rachel, e, em dezembro, saiu Rachel de Queiroz, da jornalista Socorro Acioli.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s