Poucas Linhas


Ann Morgan deu uma volta ao mundo... de um jeito diferente. Foto: BBC

Ann Morgan deu uma volta ao mundo em um ano… de um jeito bem diferente. Foto: BBC

Cidadã do mundo A escritora britânica Ann Morgan realizou uma façanha. Ao longo de um ano, ela leu 196 livros – um de cada país do mundo (segundo a lista de reconhecimento da Organização das Nações Unidas, a ONU), além de uma obra originária de Taiwan, hoje considerada uma província rebelde da China. O representante brasileiro foi A Casa dos Budas Ditosos, de João Ubaldo Ribeiro. Após a longa experiência, a autora pretende publicar seu relato em fevereiro de 2015, com o título Reading the world: Confessions of a Literary Explorer.

Inspiração Atenção aos feras! A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) lançará, nesta sexta-feira (05), um livro que reúne as 20 melhores redações do seu último vestibular. A ideia, além de homenagear os autores representados, é oferecer referências aos próximos candidatos a uma vaga no ensino superior. A obra está à venda no site da Unicamp, por R$ 10.

Olho vivo Chega ao Brasil, pela Intrínseca, a biografia de Max Perkins, o editor que descobriu escritores de talento como F. Scott Fitzgerald e Ernest Hemingway, na década de 1920. O livro Max Perkins – um editor de gênios, escrito por A. Scott Berg, foi publicado nos Estados Unidos em 1978 e conquistou o National Book Award. Recentemente, inspirou a produção do filme Genius, estrelado por Colin Firth, Guy Pearce, Jude Law e Dominic West.

Exemplo O machismo sofreu uma derrota e tanto no meio literário. Pelo menos, simbolicamente. A editora norte-americana Abdo Publishing mudou o título de um livro sobre insetos após receber uma queixa de uma jovem leitora. Parker Dains, de 7 anos, escreveu para a empresa, afirmando que gostara da obra, mas que ficara triste por ela fazer parte de uma série voltada para meninos (Biggest, Baddest Book for Boys). A editora aceitou a crítica, retirou a referência de gênero e enviou um novo exemplar para a garota, que, em entrevista à mídia local, já tratou de bater de frente com alguns rótulos e preconceitos, como a exigência de cabelos curtos para meninos e longos para meninas.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s