poema sem nome | Por Eduardo Vieira


É preciso sentir

Cheirar, morder e penetrar

A carne

Corta, sangra e arde

É necessário o suor

Pernas entrelaçadas

O tato, olfato e paladar

Imprescindível

O compulsivo desejo

O impulso do tesão

Assim, no ápice

Sublimar.

Eduardo Vieira tem 25 anos, é recifense e assina uma coluna semanal no Livro Leve Solto, publicando textos às quintas-feiras.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s