Autoral: São tempos

– São tempos difíceis, doutor.

Em que sabemos menos do que gostaríamos de saber

E mais do que nos faria bem saber.

São tempos em que, dia a dia, precisamos resistir

Aos absurdos que vêm de fora

E aos impulsos que vêm de dentro.

São tempos em que lutamos

Para oxigenar o cérebro,

Expelir a raiva

Inspirar a calma.

Em que tomamos remédios para dormir

Por desacreditarmos que o mundo tem cura.

Tempos em que confundimos

Opiniões e informações,

Desejos e necessidades,

Pretextos e explicações.

São tempos difíceis

Estes que vivemos

Esperando que passem.

Piores serão aqueles

Quando percebermos

Que, na verdade, vida faltou.

São tempos controversos

Com limites demais

E limites de menos,

Com vozes demais

E ouvidos de menos,

Contratempos demais,

Passatempos de menos.

.

Tic tac tic tac tic tac tic tac… Triiiim!

.

– Seu tempo acabou.

Obrigado, espero você na próxima sessão.

E, se não puder vir, avise.

Não tenho tempo a perder.

Tiago Cisneiros

Se você quer ter um texto publicado no nosso espaço Autoral, entre em contato conosco, pelo Facebook, pelo Twitter ou pelo e-mail livrolevesolto@gmail.com. 

 

Autoral: A casa do polvo

Casa José Mariano, como é conhecida a Câmara de Vereadores do Recife

Casa José Mariano, como é conhecida a Câmara de Vereadores do Recife

José Mariano, a tua casa é do polvo
Que estende seus oito tentáculos,
Cada qual com um querer.

.

O primeiro ergue seus novos coronéis
O segundo tapa a boca de quem fala
O terceiro afaga a face de pares particulares
O quarto rasga os papéis frágeis da lei
O quinto escreve contos para boi dormir
O sexto paralisa quem ousa se mover
O sétimo fecha as cortinas para o mundo.

.

O último e mais forte tem meta especial:
Esmagar aquele que pensa
Ser o dono de tua casa.

.

É que tua casa, José Mariano,
Do povo não pode ser,
Enquanto o polvo lá estiver.

Tiago Cisneiros

Explicação do poema: Na última segunda-feira (05 de maio), o presidente da Câmara de Vereadores do Recife, Vicente André Gomes, promoveu a votação do novo plano urbanístico para a região do Cais José Estelita, no Centro do Recife. A sessão aconteceu de forma extraordinária, sem prévia comunicação à população e com portas fechadas ao público que desejava acompanhar e se manifestar. Vereadores de oposição também foram censurados. A aprovação ilegal foi seguida, poucas horas depois, pela sanção do prefeito Geraldo Júlio, mesmo estando em viagem a São Paulo. Uma urgência incabível que demonstra o comprometimento do poder público da cidade com o setor privado, especialmente da construção civil, já que o novo plano urbanístico abre as portas para a construção do projeto Novo Recife, que consiste em 13 torres de até 40 andares em uma área histórica do Recife, à beira do Rio Capibaribe. O autor do Livro Leve Solto, Tiago Cisneiros, posiciona-se contra o Novo Recife, as ligações promíscuas entre o público e o privado, o desrespeito à participação popular e a gestão voltada para o interesse de poucos.

#OcupeEstelita #ResisteEstelita